Arquivo da tag: blog

Professores de jornalismo, repórteres e estagiários comemoram 2º aniversário do blog Formando Focas

Fotos de Cadu Bazilevski

*Por Amanda Stabile 

No sábado, 16/09, ocorreu a comemoração do segundo aniversário do blog Formando Focas, no auditório Vladimir Herzog, no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo. O evento, comandado pela professora universitária e jornalista Patrícia Paixão, responsável pela página, abordou temas como estágios, desafios da profissão e jornalismo em tempos de internet, através da inteiração dos estudantes de comunicação com profissionais renomados do campo jornalístico.

O evento se iniciou com uma mesa entre os professores Eduardo Rocha Marcos e Tânia Trajano, da Universidade Paulista (Unip), e Patrícia Paixão, da Universidade Presbiteriana Mackenzie e da Universidade Anhembi Morumbi, com o tema “Seu professor é seu primeiro empregador”. O bate-papo levou dicas para os universitários e abordou pontos fundamentais para se conseguir um bom estágio na área de comunicação, tais como: ser proativo e ter boa postura acadêmica, dominar as normas língua portuguesa, ser apaixonado pela profissão e investir em projetos e cursos complementares à faculdade.

“O professor é a primeira pessoa que pode auxiliar na entrada do aluno no mercado de trabalho”, comentou Patrícia Paixão. Os professores ainda alertaram sobre o cuidado com o português nos posts em redes sociais, porque estas são uma vitrine para os empregadores na hora da contratação. A dica de Eduardo Marcos para melhorar a escrita dos textos é treinar: “É como no futebol, se você está cobrando a falta errado, treine esse ponto”, disse.

Ser apaixonado pela sua profissão e demonstrar essa paixão nas entrevistas de estágio é fundamental, tanto quanto investir em cursos e projetos complementares à faculdade, pois como explica Tânia Trajano: “O currículo do jornalista já começa a ser formado na faculdade”. Nas entrevistas de emprego, mesmo que o universitário não tenha outras experiências profissionais, apresentar o portfólio de matérias publicadas pode ser uma forma de se destacar.

Uma dica extra apresentada pelos professores é explorar os recursos que a era tecnológica oferece. A criação de um blog jornalístico é uma boa opção para dar visibilidade aos conteúdos, podendo render prestígio ao aluno e chamar a atenção dos empregadores. Os docentes também salientaram que é importante a postagem não apenas de textos opinativos, mas também de reportagens, que é o que dá credibilidade ao veículo.

Uma novidade anunciada pelos professores da mesa foi o lançamento do Centro de Formação Profissional do Formando Focas, que oferecerá cursos voltados para a área de comunicação. Patrícia contou que a ideia partiu das reclamações dos estudantes por não terem cursos voltados para tal campo com preços acessíveis e aulas dinâmicas de áreas especializadas do jornalismo. ”A gente pensou em um modelo de baixo custo, com ambientes mais descontraídos e salas com menos alunos”, complementou Tânia.

Dando continuidade aos diálogos, Vinicius Vieira, estagiário do SESC Jundiaí, Wallace Leray, estagiário do Sebrae-SP, e Daniele Amorim, estagiária da revista Época, foram convidados para contar sobre suas experiências e contribuir com mais dicas aos espectadores do evento. Dois pontos principais foram abordados: a necessidade de ter alguém que os indique para uma vaga de emprego e a importância da persistência. “Antes de entrar no veículo em que eu estagio atualmente, eu levei vários nãos. Fui por 2 anos seguidos em 6 dinâmicas da mesma empresa, mas mesmo assim eu persisti”, recorda Daniele.

No segundo bloco a mesa contou com a presença de Aiana Freitas (BandNews FM), Vitor Guedes (Agora São Paulo e Seleção SporTV), Bruno Ribeiro (Estadão) e Andreia Meneguete (repórter da Vogue). Os profissionais abordaram a questão das qualidades necessárias para ser um repórter na atualidade. Dentre elas, foi citada a pró-atividade, saber fazer todos os processos jornalísticos, dominar a tecnologia e usar as redes sociais como aliadas: “Façam dessas plataformas algo que não existe. Algo relevante, algo jornalístico e vocês vão ganhar o mundo”, diz Meneguete.

Ao serem questionados sobre o que os mantêm na profissão, mesmo com todas as adversidades e barreiras da sociedade atual, a maior motivação citada foi a paixão pela profissão e pelo papel que esta desempenha na sociedade. “O jornalista sempre está no olho do furacão, mas quando sua matéria é publicada, você sente algo muito bom, que vicia e sair disso é sempre muito difícil”, ressaltou Bruno Ribeiro.

Ao final dos debates, alguns brindes foram sorteados, inclusive o livro “Gérson de Souza – Um repórter em extinção”, de 2014. Este livro, orientado por Patrícia Paixão, é fruto do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) de Jornalismo de André Guimarães, e conta sobre a vida e trajetória profissional do repórter especial da Rede Record.

*Amanda Stabile escreveu em caráter colaborativo para o Formando Focas. Ela é aluna do 3º semestre de jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie

*Cadu Bazilevski, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, cedeu gentilmente as fotos feitas por ele ao Formando Focas  

 

Aprenda a criar um blog jornalístico

blogging-336375_1920

Crédito: Pixabay

*Patrícia Paixão
Segundo o “Patrícia Paixão Instituto de Pesquisa”, três a cada cinco alunos de jornalismo pensam em criar um blog como plataforma para divulgação dos seus textos.

A ideia é ótima e tem mais é que ser implementada. Quem dera na minha época de estudante ter a chance de não depender de um empregador para divulgar minhas matérias a um amplo público, incluindo leitores de outros países, e a um custo praticamente nulo.

A grande questão é que hoje todo mundo tem blog e você, como costuma dizer sua mãe (risos), não é todo mundo. Você é jornalista ou está estudando pra ser um.

Se você digitar a palavra “blog” no nosso querido oráculo Google, verá que aparecerão mais de  6.950.000.000 resultados. Descontando os textos que discutem sobre o assunto, como este, boa parte dos endereços refere-se aos blogs propriamente ditos.

É muita gente com páginas de conteúdo relevante e confiável, mas também uma porrrrrrrrrada de cidadãos com blogs que trazem mais do mesmo e erros de informação.

Hoje, com todos os internautas sendo ao mesmo tempo emissores e receptores das mensagens, espera-se de nós, jornalistas, um conteúdo inovador e bem-apurado, com credibilidade.

E como garantir o sucesso do seu blog, transformando-o em uma fonte jornalística de referência, diante de tantos e tantos blogs presentes na web?

Faça um check list nas dicas abaixo para saber se você está no caminho certo:

*Aposte na segmentação: 
A segmentação é uma tendência cada vez mais forte no meio jornalístico, e a internet é um excelente meio para isso, pois permite a conversa com um público específico. Blogueiros que tratam de diferentes assuntos (desde o jogo do Corinthians contra o São Paulo à operação Lava Jato) tendem a ser esquecidos no mar de páginas da web. Poucas pessoas (com exceção dos seus amigos e familiares) vão se interessar em saber sobre a sua opinião a respeito de diferentes assuntos, a não ser que você seja uma celebridade. As pessoas buscam informações na web que sejam úteis para assuntos que lhes interessam. E na internet tem gente aficionada nos mais diversos assuntos, de mitologia grega a unhas artísticas. Aposte numa temática para o seu blog, preferencialmente um assunto que você entenda e goste bastante. Procure pesquisar o máximo possível sobre aquele tema e tente oferecer, na maior parte das vezes, conteúdos exclusivos aos seus leitores. Se você é fã de quadrinhos, por exemplo, monte um blog que buscará trazer informações relevantes sobre o que acontece neste universo, transformando-se em uma das principais fontes de informação sobre o assunto. Você verá que logo logo as pessoas que se interessam por aquele tema vão começar a recomendar sua página para seus pares.

*Crie um nome interessante
A menos que você seja conhecido, evite usar o seu nome como domínio do blog. Faça um brainstorming (a famosa tempestade de ideias), colocando no papel diferentes sugestões de nomes que sejam atrativas e criativas. Depois, procure algumas pessoas que fazem parte do seu público-alvo e peça a ajuda delas para escolher o nome mais adequado. É importante que o nome selecionado tenha a ver com o tema escolhido para o blog e/ou com o público-alvo. Isso fará com que sua página seja mais facilmente encontrada na busca do Google, por pessoas que gostam daquela temática. Exemplo, o meu blog se chama “Formando Focas” e é voltado a estudantes de jornalismo e jornalistas recém-formados. “Focas” é o termo convencionalmente utilizado para definir o público do meu blog. Portanto, as pessoas que são focas ou pesquisam sobre “focas” no Google certamente se sentirão atraídas pela minha página.

*Elabore uma identidade visual
Imagem é tudo, inclusive na web. Existem diversas plataformas gratuitas na internet para a criação de blogs. Escolha em uma delas um template interessante, atrativo e organizado, preferencialmente algo que combine com a sua temática e seu público-alvo. Opte por um layout que possa oferecer uma experiência de leitura agradável ao leitor. Cuidado com fundos pretos e azul escuro, que podem dificultar a leitura ou mesmo templates muito poluídos. Na minha opinião, quanto mais clean melhor. No cabeçalho, tente colocar um logotipo seu, que seja sua identidade. Tenha um menu com as seções do seu blog bem dispostas. Exemplo: entrevistas, reportagens, artigos, dicas. Sim, é importante que você crie essas seções. Isso ajudará o leitor a entender os diferentes tipos de conteúdo que você disponibiliza na sua página.

*Invista em reportagens e entrevistas
Nada pode irritar mais no momento de pesquisar uma informação na web do que encontrar o famoso “blog achismo”. Sabe aquela página em que a pessoa escreve textos que são mera opinião de boteco, como se tivesse o respaldo de um Elio Gaspari ou outro articulista com dezenas de anos de carreira para emitir aquela opinião? Conforme já dito, o público quer informação exclusiva e que venha de fontes com respaldo. Por isso, aposte em reportagens que tragam especialistas sobre aquele assunto, pessoas que são admiradas pelo seu universo de leitores. O mesmo vale para o gênero entrevista pingue-pongue. Faça pingues com celebridades naquela temática que você está abordando. A audiência da sua página certamente irá bombar. Pensa numa página sobre MPB, por exemplo, que traz uma entrevista exclusiva com Chico Buarque, furando lindamente toda grande imprensa. Sacou? 😉 Além disso, se você é jornalista, a reportagem e a entrevista PRECISAM ser seu diferencial em relação a blogueiros de outras áreas. Não abra mão disso! Hoje há muitos blogueiros que furam a grande imprensa com entrevistas e reportagens. Isso está ao alcance de qualquer jornalista. Basta um pouco de tesão e amor pela profissão. Sei que tem especialista bam bam bam que vai dizer que o blog não tem a obrigação de trazer reportagem, mas, no caso do blog jornalístico, considero esse diferencial obrigatório.

*Preste serviço!
Invista em textos que procurem oferecer dicas e os famosos “passo a passo”, especialmente no formato de tópicos, como este que você está lendo. A internet tem essa característica de prestação de serviço, de trazer conteúdos que ajudam as pessoas a entenderem e a resolverem os mais diferentes problemas. Pesquise quais dicas e serviços são pertinentes para o seu público-alvo e mãos à obra.

*Use a linguagem adequada
Cada meio de comunicação exige um determinado tipo de linguagem. Em blogs, normalmente é utilizada uma linguagem bem mais informal, quase que pessoal (com pitadas do estilo do blogueiro), do que a empregada na grande imprensa. Usar uma linguagem formal em um blog seria como usar um vestido social ou um terno num passeio no Parque do Ibirapuera. O público-alvo também influencia no modo como os textos são escritos. Numa página com a temática de moda, por exemplo, é importante o uso de jargões e expressões típicas da área.

* Respeite a Língua Portuguesa
Erros gramaticais podem colocar em xeque a credibilidade do seu blog. Como confiar num conteúdo escrito fora dos padrões da norma culta da Língua Portuguesa? Revise sempre e várias vezes os textos antes de postá-los. Todos temos problemas com a nossa Língua, que é bastante complexa, mas isso não pode ser uma desculpa para os erros. Por sermos jornalistas, costumamos ser bem mais cobrados pelo público nesse sentido.

*Empregue o hipertexto e o formato multimídia
O ambiente web exige um formato de texto hiperlinkado, que interaja com diversos outros textos, levando o internauta a diferentes complementos de leitura. Portanto, quando montar sua reportagem para o blog, crie hiperlinks no meio do texto que levem o leitor para outras páginas, onde ele poderá se aprofundar em tópicos interessantes abordados ao longo da matéria. A internet hoje também se diferencia dos outros meios pela convergência midiática (vídeo, áudio, fotos, tudo no mesmo veículo). Por isso, ao produzir uma reportagem ou entrevista para o seu blog, tente colocar um vídeo ou podcast que complemente o conteúdo escrito ou mesmo uma galeria de imagens, com várias cenas do conteúdo abordado.

*Atualize com frequência
Esse é um ponto bastante importante. De nada adianta você criar um belo blog, se você não for atualizá-lo com frequência. O leitor entrará uma, duas, três vezes e, ao notar que o conteúdo permanece o mesmo, acabará esquecendo da sua página. Para criar uma fidelização com o público é importante ter sempre conteúdo novo. O ideal seria você atualizar seu blog todo dia, mas, se não conseguir, tente colocar algo relevante nele pelo menos três vezes por semana. Uma dica é cadastrar o seu blog como “veículo jornalístico” em empresas como o Comunique-se ou o Maxpress que fornecem mailing list (lista de contatos de jornalistas) às assessorias de imprensa. Se você fizer isso, passará a receber das assessorias de imprensa (que verão no seu blog um canal de divulgação) informações sobre eventos e outras atividades importantes que estão acontecendo sobre o assunto abordado na sua página e, assim, terá mais conteúdo para colocar no blog. Exemplo, hoje no Formando Focas recebo releases (textos jornalísticos divulgados pelas assessorias de imprensa) sobre eventos na área de jornalismo. Esses releases muitas vezes me dão ideias de conteúdo para o blog.

*Crie uma página no Facebook e um perfil no Twitter
Depois que você estiver com o blog 100%, com todas as dicas anteriores seguidas, crie uma página no Facebook e um perfil no Twitter para ele. O Facebook, em especial, será excelente para projetar seu blog para pessoas do público-alvo que você escolheu (lá é possível divulgar o seu site, fazendo uso da segmentação – você escolhe a idade, o gênero e interesses do público). Você pode impulsionar, a um preço bem baixo, aquelas postagens do seu blog que considerar mais importantes e, com isso, irá atrair muitas curtidas e seguidores. No Facebook você pode até colocar mais posts que no blog. Aliás, não só pode como deve, já que essa rede exige uma atualização ainda mais constante. O mesmo vale para o Twitter. Busque links de interesse do público do seu blog e bora compartilhar nessa mídia social. Sempre que possível, tente usar como raiz desses links o seu blog, para levar o público para a sua página. No Facebook, você ainda poderá fazer transmissões ao vivo, oferecendo dicas e discutindo assuntos interessantes com o seu público-alvo. Isso estreitará bastante o contato com os seus fãs e seguidores. É muito legal!

Fez o check list? Então, bora arrasar como blogueiro-repórter 🙂
OBS: Texto publicado anteriormente em 17/11/2016, no portal IMPRENSA, no qual sou colunista.