Arquivo da categoria: Mestres

Um grande fotógrafo e, acima de tudo, um grande ser humano

Min

*Patrícia Paixão

Não era íntima do fotógrafo Marcelo Min. Tive três raros encontros com ele, por intermédio do meu esposo Eduardo Rocha e do amigo Guilherme Azevedo (ambos cursaram jornalismo com ele, na Faculdade Cásper Líbero, e eram seus amigos).

Mesmo sem ser próxima, sempre o admirei. Que olhar! Que sensibilidade pra captar, por meio da imagem, a alma das pessoas, dos lugares, das situações.

Acima de tudo, que grande ser humano! Todos com quem tive a oportunidade de conversar sobre ele sempre ressaltavam a pessoa maravilhosa, por trás do excelente profissional.  Nos poucos contatos que tivemos, me tratou com o maior respeito e humildade, duas palavras que fazem falta em muitos profissionais da área. Tratava assim todos que cruzavam seu caminho. Era muito simples, uma pessoa verdadeiramente do bem.

Estive no casamento dele, já há uns bons anos, e pude testemunhar toda felicidade daquele momento em que começava a construir sua família. Agora, deixa a esposa e dois filhos: um com 6 anos e outro com 10 😦

Faleceu ontem (27/08), com apenas 47 anos, após sofrer um aneurisma.

Estava atuando como colaborador da revista Globo Rural e de outras publicações da Editora Globo. Fez trabalhos lindos em vídeo e fotografia, com mestres da nossa reportagem, como Eliane Brum.

Triste, muito triste… Tudo isso nos leva a pensar na fragilidade da vida e em como devemos amar segundo a segundo as pessoas que admiramos.

Que seu exemplo seja sempre lembrado por todos que amam o jornalismo!

Vá com Deus, Min!

Texto do editor de fotografia da Revista Época sobre Marcelo Min. Vale a pena conferir essa homenagem!

Imagem: Portal da Revista Globo Rural

O jornalismo de Mauri König

Mauri Koni

Esse é um repórter que admiro muito (um dos cinco jornalistas mais premiados do país) e que poucos estudantes de jornalismo conhecem.

Em geral você pergunta aos alunos quem eles admiram no jornalismo e as respostas são sempre as mesmas: os midiáticos, que estão na telinha da TV.

Vamos abrir a cabeça, pessoal. Tem muuuuita gente boa que faz jornalismo de primeira fora da televisão e em todos os cantos do Brasil. Por isso, Mauri König foi um dos entrevistados no nosso livro Mestres da Reportagem.

É um repórter de mão cheia!

Vale a pena conferir a entrevista que Letícia Duarte, do Caderno Proa ZH, do jornal Zero Hora, fez com o jornalista.

Perfil

O jornalismo de Mauri König é marcado por reportagens que denunciam graves chagas sociais. Para ele, o papel da imprensa “é atuar na realidade e mudar aquilo que apresenta de mais injusto, trazer à luz o que está obscuro por interesses diversos”.

Nascido em Pato Branco, no sudoeste do Paraná, König iniciou sua carreira no Jornal de Foz (um semanário que hoje está extinto), em setembro de 1990. Em 1994, passou a trabalhar na Folha de Londrina, onde ficou por três anos. Em 1997, migrou para o rádio para atuar como repórter de uma emissora afiliada da Rádio Bandeirantes. Voltou para a mídia impressa em 1998 como correspondente do O Estado de S. Paulo.

Passou pelos jornais Gazeta Mercantil e O Estado do Paraná, até que, em 2002, foi para a Gazeta do Povo, onde estava até pouco tempo como repórter especial.

Em seus mais de 20 anos de carreira, foi vencedor de mais de 20 premiações nacionais e internacionais, como os prêmios Lorenzo Natali Prize, Vladimir Herzog, Esso, Embratel e o Prêmio Internacional de Liberdade de Imprensa – edição 2012.

Foto: Walter Alves / Agência Gazeta do Povo