Fotógrafos promovem ação em 11/09 para ajudar companheiro de trabalho

camera1

Restos da câmera do fotógrafo Vinicius Gomes, destruída pela PM durante protesto em SP/ Crédito: Lost Art

 

*Por Michelli Oliveira

Em 31/08, o fotógrafo Vinicius Gomes, 19, foi agredido pela Polícia Militar e teve seu equipamento destruído, durante o ato contra o presidente Michel Temer, que assumiu o poder indiretamente, após a decisão do Senado de afastamento da presidente Dilma Rousseff.

O protesto teve como ponto de concentração a avenida Paulista e tinha como intuito terminar na frente da redação do jornal Folha de São Paulo. Manifestantes que desciam a avenida Consolação foram surpreendidos em frente à Universidade Presbiteriana Mackenzie pela tropa de choque da Polícia Militar, que começou a remessar bombas de efeito moral e balas de borrachas.

Já próximo à Folha, alguns manifestantes e profissionais da imprensa que registravam o ato, dentre eles Vinicius Gomes, foram agredidos por policiais.  “Estava junto com os outros fotógrafos, quando o policial chegou e falou: é você!. Começaram a me dar porrada. Um policial jogou minha câmera no chão, vi a lente indo para um lado e o corpo para outro”, relata Gomes.

Vinicius foi detido juntamente com o fotógrafo William Oliveira, 27, que registrou a cena da agressão policial. Ele levou quatro pontos na cabeça, que foi aberta por golpes de cassetetes.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, os fotógrafos foram detidos por terem atirado garrafas e pedras na PM. Vídeos e fotos do momento mostram que Vinicius e os outros fotógrafos encontravam-se parados na hora da abordagem.

 

camera2

Vinícius Gomes, que foi agredido e teve a câmera destruída pela PM/Crédito: Diego Coelho

 

Vinicius é negro e morador da periferia da cidade de São Paulo.  “Imagine se cada jovem negro decidir ocupar os espaços que é dele por direito, se cada negro decidir ser fotógrafo e registrar o que nos acontece nas ruas”, questiona.

Companheiros de profissão realizarão neste domingo (11/09) um varal em frente ao Masp, para tentar ajudar Vinicius a comprar uma nova câmera.

“Venderemos prints no valor de R$ 30,00. Os prints, no tamanho 20×30,  foram doados por vários fotógrafos, para ajudar o Vini a recuperar sua câmera. Se cada pessoa que passar por lá puder parar para dar uma olhada e se solidarizar com a causa, comprando uma foto, será uma forma de ajudar um profissional da imprensa a recuperar seu equipamento e a resistir a censura do Estado imposta pela força”, afirma William Oliveira.

Vinicius depende do equipamento para poder trabalhar.

Além da venda das fotos está acontecendo uma vaquinha colaborativa no site Catarse. Para colaborar, basta acessar https://www.catarse.me/apoieamidianegra

*Michelli Oliveira é minha aluna de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Menina super batalhadora e engajada, defensora da comunidade negra e da causa feminista.  Ela escreve, a meu convite, para o Formando Focas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s